Sete Erros Comuns Na Dieta Do Corredor

7 Erros Comuns Pela Dieta Do Corredor


A alimentação com saúde é circunstância pra que você tenha um excelente funcionamento pela corrida de estrada. Todavia é preciso tomar tantos cuidados com o que se coloca no prato, que certas vezes, quem se dedica às passadas acaba adotando, sem saber, atitudes erradas com relação ao que comer pensando que terá um prazeroso rendimento na corrida. Listamos os sete erros mais comuns pela dieta do corredor.


Fuja dos itens abaixo e ganhe performance nos seus treinos e provas. O carboidrato é a principal referência de energia pro corpo humano do corredor. E no momento em que ele está em ausência o organismo busca a energia necessária em outras fontes, como gordura e proteína muscular. Se o treino for de intensidade suave à moderada, essa estratégia poderá até contribuir (um tanto) o recurso de redução de peso.


No entanto, o que de fato faz com que você perca calorias é o saldo negativo entre o que ingere e o que seu corpo gasta ao longo do dia. Mais: essa estratégia pode desacelerar o metabolismo basal, o que faz com que o teu organismo fique menos produtivo pra queimar calorias. Ademais, em treinos intensos, o teu corpo necessita de energia rápida. E ela só é disponibilizada na maneira de glicose, vinda do carboidrato.


Ou seja, sua qualidade de treino será prejudicada e, consequentemente, você queimará menos calorias. Por esse caso, a maneira mais correta seria consumir no mínimo uma porção de carboidrato em torno de trinta minutos antes do treino. Quando esse espaço de tempo for superior que 2h, o lanche pré-treino poderá ser incrementado, como duas fatias de pão com queijo branco ou uma tapioca com atum.



A desidratação, mesmo que suave, agora circunstância prejuízos pela performance e pela saúde do corredor. Dessa forma, procure ingerir de 2h a 3h antes do exercício 500 a 600 ml de água ou de uma bebida esportiva. Essa é uma pergunta recorrente entre os corredores. No decorrer dos treinos de longa duração (com mais de 60 minutos) é respeitável a reposição de carboidratos (e também água) com mais ou menos 60g por hora adicional de treino. Contudo, a diluição do suplemento é fundamental pra descomplicar o esvaziamento gástrico, aperfeiçoar a absorção e não criar desconfortos como enjoo, diarreia e cólicas abdominais.


O maravilhoso é que a solução contenha de 6 por cento a 8 por cento de carboidratos. Sendo assim, use quatro colheres de sopa de suplemento de carboidratos (maltodextrina , waxy maise etc) para cada 500 ml de água. Após o treino volumoso você esgota boa parcela do glicogênio muscular, que é a reserva de energia da massa magra. Estudos indicam que a reposição pode ser mais eficiente pro corpo no momento em que feita até 1 hora após o final do treino. Desse jeito, procure, além de se hidratar, ingerir alimentos referência de carboidratos de rápida absorção com uma referência de proteína (pra reparação muscular), depois da corrida. A proporção de 4g de carboidratos para 1g de proteína é bastante eficiente.


Boas fontes são leite desnatado com mel e uma fruta, sanduiche de queijo branco ou atum e whey protein com maltodextrina. É fato que a corrida fica mais fácil quando você está mais leve. Mas o teu corpo assim como tem de gorduras e carboidratos pro agradável funcionamento. Quando eles são retirados da dieta, os riscos de lesões aumentam, a imunidade cai e o overtraining fica facilitado.


Várias vezes um suplemento podes ser positivo para um corredor e extremamente negativo pra outro. Tendo como exemplo, um suplemento pode acrescentar a potência e ser benéfico para você e reter líquido e ampliar o peso para o teu companheiro de treinos. Mais um exemplo: alguns termogênicos e pré-treinos conseguem ser contra indicados a hipertensos ou cardiopatas, mas privilegiar outro tipo de corredores. Deste jeito, não caia na ideia de utilizar suplemento sem nem ao menos saber o fundamento.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *